Caixas Ninho o que são?

O que são?

São ninhos artificiais para aves, feitos em madeira de maneira a que se assemelhem a concavidades naturais existentes nas árvores. Podem ser colocados em árvores, postes ou edifícios, providenciando assim um local para nidificar perto da zona de alimentação.

 

Vantagens para a  agricultura, sociedade e meio ambiente

Algumas das aves que beneficiam-se com esta medida são insectívoras, alimentam-se de invertebrados e ajudando no combate a possíveis pragas, o que permite evitar ou reduzir o uso de insecticidas, com vantagens económicas e ambientais para as explorações agrícolas. Assim como no caso das aves de rapina, a sua existência vai controlar o número de pequenos mamíferos como roedores que em excesso são prejudiciais.

Em zonas urbanas, as aves nem sempre têm condições para se desenvolver. Ao montar uma caixa-ninho  estamos a ajudar algumas aves que criam os seus ovos em concavidades, concavidades essas difíceis de encontrar nas cidades, passam a ter esses locais de nidificação. As aves e morcegos que vivem em cidades trazem benefícios, como por exemplo alimentado-se de insectos que tanto nos incomodam e podendo até transmitir doenças. Mesmo nas cidades com árvores, estas, normalmente não têm uma idade avançada, sendo árvores com poucos anos dificilmente possuirão concavidades ideais para os ninhos. O mesmo acontece nas nossas florestas mas neste caso devido a um motivo diferente, os incêndios florestais. Não só as aves são beneficiadas com a existência de árvores mais velhas, fungos e mamíferos também o são, assim como os humanos, quanta mais velha a árvore mais dióxido carbono consegue capturar. Estes abrigos além de atraírem animais às nossas florestas também são eficazes para a sua fixação em jardins urbanos e até quintais.

As caixas-ninhos representam assim uma boa solução para colmatar esta carência por todo o nosso país, de uma forma sustentável e sem danos para o meio ambiente.

 

Composição das caixas-ninho

As caixas são construídas com madeira não tratada, no nosso caso pinho, ou com outro tipo de madeira resistente no exterior como contraplacado ou cortiça. A entrada de cada caixa é o elemento que define a espécie que o ocupa, existindo essencialmente dois tipos: caixas com abertura circular que se destinam a passeriformes (chapins, pardais) ou a aves de maior porte, como pombos ou mochos; caixas com meia frente, ideais para turdídeos (melros e tordos). Outra característica importante para a escolha da espécie alvo é o volume da caixa.

Os abrigos não devem ser pregados às árvores, o mais recomendado é a utilização de corda ou então de arame, desde que este esteja revestido com borracha para não danificar os troncos.

 

Melhor localização e época do ano

Deve-se colocar as caixas-ninho num local ameno, posicionando-o de forma a evitar os ventos predominantes, no nosso caso ventos de Norte, colocando assim a abertura para Sul. A altura do ninho ao solo depende de espécie para espécie, de uma forma geral deve ser colocado entre 2 e 5 metros.

O ideal é colocar o abrigo no Outono para que haja tempo suficiente para a ave se habituar a ele até ao final do Inverno, altura de nidificação das aves. De qualquer forma, a colocação de ninhos noutra altura do ano nada tem de prejudicial, mesmo que a caixa não seja ocupada, serve de abrigo para as aves nos dias de tempestade, ao mesmo tempo que se torna um objecto familiar para as aves da zona. Todos os anos deve-se proceder à limpeza dos abrigos, normalmente no final do Verão, Agosto e Setembro, de modo a prevenir o aparecimento de parasitas.