Ficha do Chapim

Descrição:

Ave pertencente à ordem dos passeriformes. Passeriformes é uma ordem da classe aves, conhecidos popularmente como pássaros ou passarinhos. São aves de pequenas dimensões, canoras, com alimentação baseada em sementes, frutos e pequenos invertebrados. Nidifica em buracos de árvores, muros, pontes, edifícios e ninhos artificiais. O buraco é forrado de musgo, erva, pelo e lã e com um segundo forro de pêlo, material vegetal macio e penas.

Chapim Azul (Parus caeruleus) – mede cerca de 11 a 12 cm de comprimento e entre 12 a 14 de envergadura. Chapim pequeno de coroa azul-vivo, faces brancas e manchas pretas por toda a garganta, em torno das faces brancas, atravessando o olho e também em volta da parte posterior da coroa. Partes superiores azuis com laivos amarelados, asas e cauda azuis com uma faixa branca nas asas. Partes inferiores amareladas com uma risca escura, de tamanho variável, descendo pelo abdómen. Esvoaça de árvore em árvore com um voo ondulante. O macho em exibição, cai de um ramo com as asas abertas parecendo uma borboleta e, depois, o voo torna-se ascendente, até pousar num ramo mais próximo ao do ninho.O bico é preto e mais curto do que o do Chapim-real.

Chapim Real (Parus major) – é o maior chapim da família Parulidae, medindo 14 cm de comprimento e entre 22.5 e 25.5 cm de envergadura. A plumagem é maioritariamente castanho-esverdeada nas partes superiores (manto e cauda) e amarela no peito e barriga. A cabeça é preta, com excepção das faces brancas, e é a partir do colar que parte uma banda preta que atravessa todo o peito e barriga da ave. O bico é igualmente preto. Nas asas possui uma barra branca que é visível apenas em voo.

Hábitos alimentares:

A dieta dos chapins compõe-se principalmente de insectos (lagartas, borboletas, besouros e aranhas) mas também de frutos e sementes, sobretudo no Inverno, quando os insectos escasseiam. Assim, durante a Primavera e Verão os chapins alimentam-se nas árvores e no Outono e Inverno maioritariamente no solo. Em determinados locais os chapins habituaram-se a comer em comedouros colocados em parques, jardins e quintais particulares, comedouros estes que lhes asseguram a alimentação durante os meses em que o alimento escasseia.

Habitat:

Ocorre numa grande variedade de habitats demonstrando assim uma elevada versatilidade. Frequenta principalmente áreas florestais (montados, pinhais, olivais, eucaliptais). O tipo de coberto florestal pode, muitas vezes, ser menos importante que a estrutura e densidade do sub-bosque, uma vez que a possibilidade desta espécie se alimentar no solo é muito importante. Bem adaptado à presença do Homem, os chapins são encontrados também em parques e jardins, aproveitando estruturas feitas pelo Homem para nidificar. É uma espécie residente em Portugal, frequentando a grande maioria das áreas florestais de norte a sul do País. Principalmente no sul, é extremamente fácil observar o chapim em qualquer montado de sobro ou de azinho. A sua localização é facilitada se se tiver em atenção o chamamento repetitivo e metálico que os machos emitem na Primavera para salvaguardar o seu território.